25 de mai de 2012

P.O.D. - Entrevista na Indie Vision (PARTE 2)

Dando sequência á entrevista concedida ao site Indie Vision, agora vocês acompanham a segunda e última parte, onde Sonny comenta sobre o Murdered Love, sobre voltar as raízes, e sobre algumas polêmicas envolvendo a faixa "I am", confiram.

Vocês estão de volta com uma nova gravadora, um novo álbum, e vocês também decidiram utilizar um novo logotipo. O que fez vocês decidirem mudar o 'logo' depois de tantos anos?
Eu não acho que necessariamente mudamos, as coisas simplesmente correram. Tem sido, como você disse, apenas um tema novo. Acredito que seja uma espécie de renascimento, num ponto de só deixar rolar. Temos uma nova agência. Isso foi apenas algo novo, tentando ficar em contato com nossa base de fãs. Vamos deixar nossa base de fãs fazer um novo logotipo. Eles sabem o que é o melhor. Tivemos centenas de centenas de opções. Isso é em última análise, tudo o que temos. Não estamos focando em apenas ''conseguir um hit de rádio e subir até o topo da montanha novamente''. Estes fãs vem para um show e compram uma camisa. Nós sempre fomos a mesma banda. Vimos algumas bandas, muitos vêm e abrem nossos shows e de repente já estão no topo. Nós somos abençoados por ter uma base de fãs tão hardcore como o que temos. Vinte anos e ainda continuamos fazendo música. Isso é muito louco. Estamos apenas aproveitando a bênção que temos.

Então, vamos falar sobre o Murdered Love, que sai dia 10 de julho. Com um título como esse, tem que haver algum tipo de significado ou uma história por trás dele.
"Murdered Love" é uma canção do disco, que originalmente se chamava 'The day we murdered love'. Apenas uma música sombria e sinistra. O conceito foi apenas pensar sobre o momento em que Cristo foi crucificado. Se você é crente ou não, nas escrituras diz que a terra estremeceu e o céu ficou escuro. Nós só estávamos pensando que acreditamos que Deus é amor. Mesmo neste momento negro e muito assustador. Não apenas para as pessoas que o amaram, mas só para mostrar ao mundo o seu amor. É apenas uma espécie de atingir esta vibe na música. Quando eu escrevi a letra, era mais sobre exterminar o amor. Eu  acredito que Deus é amor. Acredito que foi isso que aconteceu na cruz.

Depois do sucesso de Satellite, nos álbuns seguintes pouco se viu aquela combinação que caracterizou o P.O.D.  com o rap/rock. Em vez disso, vocês pareciam buscar mais um rock melódico. Com o que temos ouvido até agora sobre o Murdered Love, parece que este álbum é um retorno às suas raízes. Como você compararia este novo álbum em relação aos anteriores ?
Um monte de pessoas estão dizendo: 'Ei, isso me lembra o Satellite, ou algo antes disso.' Eu acho que sim. Acho que tomamos  uma decisão contínua para realmente fazer o que queremos fazer. Com os últimos CDs, muitas pessoas tiveram vontade de nos mandar fazer determinada coisa. "Precisamos desse single", "Nós precisamos deste outro ..." Todo mundo está apenas apontando-lhe na direção que eles sentem que é melhor para sua carreira. Acho que até inconscientemente você meio que simplesmente começar a ir nessa direção. Você se torna tão entorpecido, como eu disse anteriormente, você apenas vai e faz. Estamos escrevendo o que queremos fazer. Nós vamos tocar as músicas que queremos tocar ao vivo. Nós crescemos  sendo crianças hardcore e punks, ainda não temos essa herança para nós. Então, nós realmente amamos reggae e hip hop. Nós sempre apenas misturamos tudo. Estávamos fazendo essas músicas antes mesmo de se tornar algo grande. Em certo momento fiquei meio destruído. Uma vez que o Limp Bizkit se tornou grande, todos  mudaram seus estilos. Para nós, sempre foi um estilo de vida e agora é bem mais que um som. Foi algo que veio e morreu. Não queríamos ser lembrados desse jeito. Eu acho que é algo que realmente mexe com sua cabeça. Nós sempre fomos assim e este é o tipo de música que nós amamos fazer. Eu sou um grande fã de hip hop e eu adoro música pesada. Isto parece certo.

Ainda que as faixas que foram liberadas apresentem um som mais pesado para o P.O.D., há uma variedade considerável neste álbum. Quais são algumas de suas faixas favoritas ? E você acha que seus fãs vão se surpreender com as músicas?
Eu não acho que qualquer coisa sobre este álbum será uma surpresa. Se você acompanhou a carreira do P.O.D. você sabe que este álbum não traz nada que não tenhamos feito antes. Se você ouvir nossas demos de 1992, tivemos DJs neles. Estamos trazendo o reggae desde aquela época. Tivemos influências de jazz, tivemos momentos pesados ​​em todos os nossos CDs. Eu não acho que é uma surpresa para os fãs. Algumas de nossas canções favoritas como uma banda são músicas mais pesadas. No entanto, quando você fala com a gravadora e coisas assim, eles tendem a pensar em coisas mais 'amigáveis' para as rádios Nós queremos um som pesado como com "Murdered Love", mas "Lost in Forever" é mais amigável. Em última análise, vão todas as nossas músicas e nós amamos todas elas. Se dependesse de nós, só teríamos músicas pesadas. Mas isso pode não agradar as rádios, então você tem que levar isso em consideração. Particularmente, eu prefiro que as pessoas tenham o CD e tirem suas conclusões. Nós ainda estamos mostrando às pessoas o nosso som. Estamos apenas falando com eles tentando descobrir quais músicas eles gostam mais.

O último álbum teve um monte de participações especiais, e já sabemos que Jamey Jasta aparece neste novo. Há algum outro convidado que você possa nos contar que irá aparecer ?
Sim, tem o Sick Jacken do Psycho Realm. Ele esteve presente no Testify também. Ele estará na faixa 'Murdered Love'. E então, tem Sen Dog do Cypress Hill em "West Coast Rock Steady". Eles são os únicos confirmados até agora. Eu tinha realmente falado com Chino do Deftones em fazer algumas coisas. Nossos horários não encaixaram, então não deu certo. Eu ainda estou esperando para fazer alguma coisa. Talvez façamos um B-Side ou algo assim, em que ele venha e faça um remix de uma das canções.

A canção "I am" apresenta algumas partes intrigantes e que parece conter um pouco de edição de linguagem. Obviamente, isso pode vir como um pouco de surpresa para muitos de seus fãs. Você poderia falar um pouco da letra e dos significados por trás dela?
Primeiro, eu tenho ambos os lados. Eu tento não dar atenção a coisas bobas como essa. Eu acho que é apenas mais uma agressão de onde a música está vindo. É triste que as pessoas já estão ouvindo sobre isso. Você tem a visão hipócrita religioso, as pessoas prestando mais atenção a uma palavra em vez de toda a música, cheia de letras. Olhe para o conteúdo da situação. Eles tendem a se concentrar em alguma palavra ao invés de tudo o que está sendo dito. O que, para mim é a parte mais vergonhosa. O significado da canção fala por si. Para mim, sair com os jovens e ver o que eles passam. Vendo a loucura deste mundo em que você vive. Para mim, acho que já perdemos de vista o que realmente importa. Eu entendo porque nós temos uma base cristã. Se o cristianismo se baseia em se devemos ou não 'jurar' essa é a menor de nossas preocupações. Eu não sou esse tipo de cristão, e eu normalmente não falo assim. No entanto, é uma expressão de como a música é intensa. Eu gravei assim, e após um longo tempo de pensamentos e orações em busca de conselhos sobre ela, decidimos fazer assim. Há ainda outras palavras na canção em que a fazem receber a etiqueta de 'conteúdo explícito'. Nós não escrevemos músicas cristãs, de modo que os cristãos podem finalmente relaxar. Nós tendemos a viver no mundo real. Você sabe, eu não vivo em uma bolha religiosa. Estamos cercados por pessoas que ainda não se descobriram e que estão perdidas. Mais uma vez, esta canção e tudo o que P.O.D. tem feito até hoje é levar esperança para as pessoas.Temos esperança de encontrar a fé que temos em Jesus e em Deus. Há pessoas que ainda estão à procura. Esta canção aborda tudo o que eu vejo as pessoas passando. Esta é apenas uma pergunta honesta que estamos fazendo honestamente a Deus. As pessoas querem se concentrar em uma palavra, ao invés do conteúdo. Se passaremos a receber uma monte de críticas, não vai ser a primeira vez. Eu sei pela minha experiência que, um garoto vai se aproximar de mim dizendo ''Ei, cara, essa é a minha canção favorita, essa música realmente falou comigo porque eu sou essa pessoa." Isso é quando tudo passa a fazer sentido.

Foi anunciado que vocês vão participar do 'Uproar Festival' este ano, que é uma grande turnê para se anunciar  uma "volta". O que está te deixando mais ansioso para essa turnê?
 Adoro sair com as multidões que querem apenas o rock and roll. Em nossa última turnê, nós estávamos fazendo os shows durante a semana e estávamos fazendo os grandes programas de rádio de rock durante os finais de semana. Há um monte de fãs lá fora e tudo que eles querem é o velho rock and roll. Eu acho que há tanta coisa lá fora, mas hoje é apenas entretenimento. Você se senta no gramado, ouve e muitas vezes adormece. Não há vida neste setor mais. Simplesmente não há mais paixão na música. Eu acho que quando nós vamos a esses shows, estamos sempre tentando ser a mesma banda de 20 anos atrás. Aquela banda que adora pular do palco, ir pro público e enlouquecer. Essa paixão tem se perdido nos dias de hoje. Para nós,  vocês sabem que nós somos os mesmos caras de antes. De bermudão, camiseta de beisebol  e que pula no meio da multidão. Apenas se divertir um pouco. Eu acho que, quando a multidão ve isso, é uma reação divertida. Há uma nova geração de crianças que não sabem o que esse material é porque eles são os ouvintes de rádio. Tudo o que sabem sobre o rock and roll é o que ouvem nas rádios. Eles nunca experimentaram a paixão do hardcore/punk oldschool. Eu acho que P.O.D. traz isso. Se você já viu ou ouviu a gente, quando você sai para ver a banda que estava a fim. Quando você vê a reação da multidão e da banda, ela agarra sua atenção. Felizmente, eles vão tomar conhecimento e comprar um disco ou sair para um dos nossos outros shows novamente.

Vocês foram misturando rap e rock há quase 2 décadas e estavam fazendo hip hop cristão antes que houvesse esse rótulo. Nos últimos 5 anos vimos uma enorme expansão dos cristãos no hip hop ganhando exposição no mainstream. Um bom exemplo seria Lecrae, com quem você trabalhou em uma faixa chamada "Children of the light". Como alguém que tem raízes no hip hop e que também passou do underground cristão a exposição mundial, o que você está achando sobre esse movimento?
 Para ser honesto, eu realmente não sei muito sobre isso. É uma longa história. Eu não sei muito sobre hip hop cristão. Para mim, sinto que é uma indústria comercial em que as pessoas podem entrar. Eu não entendo. Eu acredito que você só faz música. Eu conheci Lecrae, eu realmente não estava muito familiarizado com seu trabalho, mas eu o conheci em uma convenção da juventude, onde ele falou um pouco. Eu achava que ele era um cara grande. Eu pensei que seu coração era genuíno. Quando ele me pediu para fazer algo com ele, eu disse algo como 'legal, deixe-me ouvir a faixa. Eu adoraria fazê-lo.' Não foi nada como 'deixe-me fazer alguma coisa cristã ou algo assim'. Foi simplesmente ''amo fazer música positiva''. Acredito que com o sucesso do P.O.D. fomos usados
​​por Deus para quebrar um monte daquelas barreiras. Estamos sempre sendo rotulados, 'como cristãos isso ou cristãos aquilo'. Acredito que por um tempo sempre foi uma mensagem que, se você não é um cristão, você não pode ouvir esta música Então, sempre houveram bandas que tem "raízes cristãs" e fazem boa música, mas eles não foram autorizados a receber uma exposição maior porque eles foram rotulados como 'somente para cirstãos'. Então, agora, com o sucesso P.O.D. quebrou as barreiras. Agora você tem bandas como As I Lay Dying, Underoath, The Devil Wears Prada e todas essas bandas que estão sendo atacadas ou julgados por serem cristãs. Eles estão lá pela música que eles fazem. Eu falo com crianças o tempo todo que me dizem que não são cristãs, mas eles adoram esta música. Isso é o que importa. A música deveria falar com sua alma e fazer algo por você e, finalmente, ter um impacto sobre sua vida.

Com Hip Hop Cristão, eu acho que é surpreendente se isso é o que está acontecendo. O que eu adoraria ver é Lecrae e todas essas bandas abrindo um show do Snoop Dogg. Você realmente quer ser uma luz para o mundo. Você precisa parar de categorizar-se como um artista cristão e só para os cristãos. Você está tentando ser o fogo para este mundo, mas você está de pé dentro das mesmas quatro paredes. Precisamos ir lá fora e acender este fogo selvagem. Você sabe o que estou dizendo? A mentalidade do PO.D. sempre foi de ir lá e tocar, com bandas que fazem qualquer tipo de música, para não ficar em um gênero. Não é por isso que eu estou fazendo música, eu não quero estar nessa bolha. Lecrae tem muito talento, eu acho que é um desperdício que ele só esteja fazendo shows para o público cristão. Eu acho que se ele têm um dom e um talento, isso deve ser passado a diante. Ou "Se eu estou na turnê Smokeout, eu fumo maconha", não é assim. Você está colocando o seu dom para fora. Você está colocando sua luz lá
fora, para que um mundo escuro  possa ver.  Eu acho que essa luz é aniquilada quando se foca somente nas igrejas, grupos de jovens cristãos ou clubes. Acho que às vezes nós como cristãos, simplesmente nos acomodamos com esse rótulo.