19 de set de 2010

Live Above 11 - Entrevista Marcos Curiel


Em entrevista cedida ao site Live Above 11 Marcos Curiel falou sobre o show beneficente ''Never Again'' dedicado a estudante do colégio de Moreno Valley, Norma Lopez, e também deu dicas sobre o novo álbum do P.O.D., sem data prevista para lançamento e sobre a origem do nome "Warriors"
Confira alguns trechos da entrevista:

LA11: Como você se envolveu com a família Lopez e o concerto beneficente "Never Again" ?

Marcos Curiel: Eu não conheço a família Lopez pessoalmente, mas meu amigo Gary Avilla é quem nos envolveu nisso tudo. Ele mora em Los angeles e tem uma filha. Nós estavamos conversando um dia e foi algo como "O que nós podemos fazer" ? O P.O.D. esteve fazendo concertos beneficentes em pró do baixista Chi Cheng do Deftones durante o ano passado e nós realmente queríamos fazer a diferença. Se há alguma maneira de ajudar o "Never Again" para que isso conscientize as pessoas nós nos envolveremos. Sendo um pai, meu coração está com a família Lopez.
-
LA11: Mudando um pouco de assunto, o que os fãs podem esperar do novo álbum ? 


Marcos Curiel: Nós vamos definitivamente voltar as raízes, se é que me entende.  Por algum tempo foi aquela mania de rap e rock, e então depois de uns anos já estavam todos de saco cheio e falando muita besteira sobre isso. Nós tentamos evoluir e crescer como pessoas, músicos, e como banda. Nós tentamos coisas bem diferentes ao longo do caminho, e agora estamos voltando a nossa origem. Basicamente agora estamos dizendo "Hey, nós somos do sul da California, isso é o que nós somos, e o que nós fazemos".Vamos voltar as nossas raízes e fazermos um CD com várias misturas, um pouco de punk rock, rap, ou reggae, aquilo que nós sempre fizemos. Não estamos sendo tímidos com o fator do hip hop mais. Assim é como nós começamos, e é disso que o pessoal gosta e o que nós gostamos de fazer. (...) Não está nada confirmado ainda, mas estamos pensando em voltar aos estúdios com Howard Benson, que foi quem produziu o Satellite e o The Fundamental Elements Of Southtown conosco. Essas coisas já dão uma idéia de que estamos realmente voltando, com riffs e ritmos cativantes e é claro, com letras inspiradoras e edificantes.
-
LA11: Quando será a data prevista de lançamento ?

Marcos Curiel: Concerteza ano que vem. Nós estaremos em pré-pró (Pré produção) em NOVEMBRO. Já começamos a compor. São apenas tentativas, mas em Dezembro e Janeiro esperamos começar a gravar com Mr. Howard Benson. Estamos animados!  Estamos de volta aquela fase em que todos sorriem novamente, e prontos pra cairmos na estrada e fazermos nossas coisas.
-
LA11: Por que seus fãs são chamados de ''Warriors'' ?

Marcos Curiel: Quando começamos, na época de 90, tínhamos um pequeno grupo de fãs, e achavamos que eles precisavam de um nome bem legal! É derivado do filme Kiss Army (risos). Precisavamos de algo original e que tivesse nos influenciado, e os Warrios do filme faziam exatamente isso. Algumas pessoas acham o filme velho, nós achamos clássico. Nós decidimos chamar os fãs de ''The Warriors'', e então foi adotado. Eles foram cruciais nos primeiros dias. Quando assinamos com a gravadora, eles nos ajudaram a bater artistas pop's como Britney Spears, e nos colocaram no topo do TRL. Eles estiveram conosco desde o primeiro dia.
-
LA11: Como suas músicas influenciam as pessoas ?

Marcos Curiel: Se pudermos fazer diferença e inspirar as pessoas a encararem seus dias então é isso que iremos fazer. Acho que essa é a razão pela qual "Alive" foi tão bem durante um longo tempo. As pessoas foram atraídas por essa canção. Eu me lembro de ir a um show em San Diego. Eu vi um garoto correndo por um estacionamento lotado onde estava tendo um show de metal...Ele estava cantando Alive enquanto corria. Foi justo quando o single foi lançado, e ele estava em um tipo completamente diferente de show, era o oposto de nós, mas estava feliz, cantando Alive...foi uma viagem!
-
LA11: A positividade da banda é uma atitude pra uma vida longa ?


Marcos Curiel: É como educação, é família, é nossa base espiritual. Isso tudo influencia quando tocamos. Nós temos nossas lutas no dia a dia, nós lutamos como irmãos. Mas nós nos amamos dentro da banda. Temos passado por tudo juntos. Essa é a chave. Nesse mercado é difícil achar bandas que não mudaram seus membros. Nós tivemos nossos problemas no passado. Eu mesmo saí pra gravar algumas coisas. Nós quatro crescemos juntos musicalmente. Somos uma banda desde que começamos a fazer alguns sons na garagem. Sabemos quase tudo sobre o outro e concordamos com nossos objetivos enquanto banda. Nós temos consenso com o que estamos tentando fazer, que é tocar e nos divertir. A maior parte das bandas e artistas que nos inspiraram são algo que falta hoje em dia dentro do rock mais pesado. Quando começamos, nós iniciamos uma tendência nova. Você pode dizer quando isso é real e quando existe alguém tentando “vender música”. POD é uma coisa verdadeira. Nós nos preocupamos com as pessoas, com a humanidade, com nossas famílias. Nós amamos tocar música.
 -
Fonte: http://www.lifeabove11.com/
Agradecimentos ao Macel pela ajuda na tradução.

0 comentários:

0 comentários: